NOIVOS & NAMORADOS

Um caminho abençoado para o casamento

Arquivo de Josué Gonçalves

Namoro a distância – será que funciona?

Pr. Josué Gonçalves

 

1- O que o senhor pensa sobre os perigos de um relacionamento à distância?

Nenhum relacionamento está isento de riscos e perigos, porém, quando duas pessoas assumem um compromisso estando longe uma da outra, o que vai determinar a força dessa relação é a profundidade do caráter de cada um. Quantos casamentos foram iniciados a partir de um relacionamento a distância, e são felizes. O fato de algumas pessoas terem se dado mal num relacionamento assim, não significa que ninguém mais deve investir nesse tipo de namoro. Relacionamento a distância fracassados não é a regra.

 

2- Há algum risco de ocorrer uma traição quando a saudade aperta ou quando se encontra uma outra pessoa interessante?

A possibilidade de uma traição sempre existe, mesmo estando perto um do outro, porém, é claro que a ausência do parceiro(a) e o fato de se encontrarem esporadicamente, pode esfriar a relação vulnerabizando assim a relação. Lembre-se, por mais que ele(a) sinta saudade, o que faz as pessoas sustentarem o compromisso e se guardarem uma para outra, é o amor. A Bíblia diz que o amor é paciente, tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta (1 Co 13:4-7).

 

3- Como saber manter a chama acesa mesmo longe do namorado(a).

Com o avanço tecnológico, hoje os casais podem se comunicar através da Internet,(e-mail, vídeo câmera, MSN, ICQ…) telefone, fax etc. O contato permanente, mesmo a distância pode aprofundar o vínculo levando os dois a manterem o pacto de fidelidade. O namorado(a) precisa estar sempre lembrando que ele(a) está longe fisicamente, mas presente emocionalmente. A forma mais eficaz de conservar a chama acessa, é manter a conexão através dos meios disponíveis de comunicação. Os jovens amantes, sempre encontram uma forma de fazer o amor crescer apesar da distância. O amor é a causa motivadora da criatividade.

 

4- Como controlar a questão do ciúme e não se tornar uma torre de vigia por meio de ligações, cartas, e-mails etc.

Toda relação equilibrada é fundamentada na confiança e isso tem a ver com o caráter e maturidade das pessoas. O ciúme faz parte de um estágio de infantilidade emocional. Na proporção que a pessoa vai amadurecendo e tomando consciência do respeito que deve ter quanto aos limites do outro, o comportamento tende a mudar. O que não pode é alimentar esse sentimento em vez de buscar cura e libertação.

 

5- Namorar longe pode comprometer a relação dentro do casamento?

Depende, se os dois são apenas namorados, a resposta é não, mas se estão casados e por alguma razão um precisa ficar longe do outro durante muito tempo, ai sim é uma situação de grande risco. Conheço muitos casamentos que ruíram, porque um dos cônjuges resolveu ir para um outro pais a fim de ganhar dinheiro e o longo período que passaram distantes um do outro foi o fator determinante para que acontecesse uma traição. Quando estão os dois estão apenas namorando, é mais fácil administrar a distância, é claro que não é como se estivessem próximos. O casal precisa amar o suficiente para assimilar todas as implicações de um relacionamento assim.

 

6- É possível conhecer a pessoa mesmo estando longe? (como fazer para descobrir os caprichos, os valores, as manias, o gênio, o caráter, o relacionamento com a família). Gostaria que você falasse sobre cada item desse separadamente.

Mesmo à distância, os dois precisam buscar meios para se encontrarem, a fim de que não seja um namoro 100% virtual. A verdade, é que, mesmo estando próximos e se encontrando com freqüência, ainda não é possível conhecer o suficiente, imagina estando longe. Um relacionamento à distância, muito mais do que aquele onde o dois está perto um do outro, precisa haver total transparência e sinceridade. Os dois vão precisar escrever, falar ao telefone, expor um para outro tanto as suas qualidades como os defeitos, e a tendência nessa fase é apenas mostrar o lado bom e omitir o ruim. É importante fazer contato com os pais, a família e os amigos, que podem dar testemunho da pessoa.

Um outro fator é que nós somos de certa forma aquilo que falamos, ao se comunicar durante um bom tempo com alguém, logo vamos conhecendo o perfil do caráter e da personalidade dessa pessoa. O que não pode acontecer, é o jovem fazer toda a leitura apenas com os óculos da paixão, ai é impossível uma analise criteriosa do outro. Sempre quem está de fora enxerga melhor do que os envolvidos, por isso leve muito a sério a opinião de pessoas maduras e que podem ajudar.

 

7- Namorar à distância funciona ou não funciona?

Depende muito dos envolvidos e das circunstâncias. Quando a distância é extremamente grande e os dois só vão se encontrar no dia do casamento para se verem pela primeira vez e casarem, essa decisão me parece ser um pulo no escuro sem saber onde vão cair. Ë imprescindível que o casal na medida do possível, se encontre, ainda que esporadicamente. Esse contato, onde os dois possam se olhar, ouvir, sentir a presença etc, é fundamental.

 

8- O senhor não acha que o relacionamento do casal de namorados entre suas famílias é importante? Então como proceder se eles moram longe?

A família é importante no relacionamento, mas os pais devem respeitar a liberdade de escolha dos filhos. Se a escolha que o(a) está fazendo é dentro dos princípios da Palavra de Deus e do outro a pessoa escolhida se mostra ser alguém que vale o investimento, não há o porque a família jogar contra. O amor vence obstáculos!

 

9- Ver o relacionamento do/a namorado(a) com a família dele(a), ver como se tratam etc, também não é importante? Mas, no entanto, a distância também impede de observar isso, como fazer então para sanar o problema?

Como conselheiro que trabalha a muito tempo com casais e jovens, tenho orientado que, independente de quem seja a família do outro, é necessário que haja respeito e consideração. Isso porque é leviano dizer ao namorado, noivo ou cônjuge “te amo” e não querer bem a família dele(a), isso é o absurdo da incoerência. A forma como um vê a família do outro e com ela se relaciona tem muito mais a ver com a maturidade dos dois.

 

10- agora, à luz da Bíblia, termine deixando uma dica legal para os casais que namoram à distância.

Não importa o quão distante estão, o relacionamento tem que ser construído sobre base sólida, e nenhum outro alicerce é melhor do que os princípios estabelecido por Deus em sua Palavra. Tudo o que começa sem Deus termina em fracasso, mas quando o Senhor está no controle de todas as coisas, o relacionamento tem tudo para ser bem sucedido. A confiança na soberania de Deus e o amor pode fazer com que um namoro a distância desemboque num casamento feliz.

Alguns conselhos:

1. Estamos vivendo na era da “virtualidade”, onde muitos se conhecem através da internet. Cuidado, não seja precipitada(o) em se envolver num encontro virtual, nesses encontros nem todos dizem a verdade, é preciso muito cautela.

2. A vida é o resultado das suas escolhas, por isso a sua decisão deve estar respaldada na vontade Deus, busque-a como prioridade número um, não abra mão disso por nada.

3. Nunca se ponha debaixo de um jugo desigual com os incrédulos.

4. Não namore por lazer. Namoro não é passa tempo.

5. Após iniciar um relacionamento a distância, não deixe a “emoção” falar amais alto do que a “razão”, mantenha os pés no chão.

6. Lembre-se, maturidade é também saber dizer não quando necessário.

7. Envolva seus pais e sua família nesse projeto, eles poderão dar o apoio moral necessário em qualquer relacionamento relevante.

8. O pastor deve ser o seu conselheiro espiritual nessa área, esta cobertura é imprescindível.

9. Cuidado com o ciúme doentio, toda pessoa ciumenta vive aprisionada e busca sempre aprisionar o outro, isso é torturante.

10. Nunca acredite em tudo o que falam e seja criterioso(a) no julgamento sobre a pessoa com a qual está se relacionando.

11. Leia o Salmo 37, principalmente o versículo 4.

 

Extraído do site Família e Graça:  www.familiaegraca.com.br

 

Como Encontrar um Cônjuge?


Pr. Josué Gonçalves

A maioria de nós cresceu ouvindo histórias de suspense ou lendo romances, em que o príncipe encantado levava a mocinha pobre embora no seu cavalo, e eles viveram uma vida longa e feliz. Mas na vida real isso não acontece e há milhares de pessoas solitárias. Como podemos achar um cônjuge?

Aqui seguem algumas sugestões que podem ser úteis a você nessa busca.

1.      Coloque a sua vida por completo nas mãos do Senhor através de uma oração consciente (Sl 37.4). Faça o Senhor Jesus não somente o seu Salvador, mas  também o Senhor (dono) da sua vida.

2.      Reflita em como você poderá crescer espiritualmente. Seu crescimento e maturidade espiritual são essenciais, independentemente se você se casar ou não. Maturidade espiritual também ajudará você a receber a direção de Deus neste assunto tão importante. Caráter de Cristo – fruto do Espírito (Gl 5.22,23).

3.      Esqueça o “príncipe encantado” e busque alguém de acordo com a vontade de Deus para a sua vida (Rm 12.2; Mt 6. 9,10; Ef 5.17; 1 Jo 2.17). Às vezes os nossos sonhos podem ser de Deus, mas na maioria das vezes são resultados de ter filmes ou romances lidos em excesso. Aprenda a diferença entre atração física e amor verdadeiro, que realisticamente aceita o parceiro como ele é.

Em muitos países existem serviços de intermediação entre homens e mulheres, que desejam se casar. Muitas vezes trabalham através de análises por computador. Você preenche um formulário com seus dados, e o computador procura a pessoa indicada para você, com gostos e características idênticas. Neste caso, duas pessoas que se parecem, estão sendo aproximadas. Se as duas são iradas, poderão ter brigas fortes com pratos voando pela cozinha! Na verdade, se Deus aproxima duas pessoas, estas até poderão ter algumas características idênticas. Porém, muitas vezes bem diferentes. Uma pode ser introvertida e tranqüila, a outra extrovertida e exuberante. Deus deseja que nós nos completemos, e mutuamente auxiliamos. Não é necessário que sejamos iguais.

4.      Decida nunca se casar ou mesmo sair com um(a) eventual candidato(a) que não seja cristã(o) (Amós 3.3; 2 Co 6.14-18; Gn 24.2,3). A Bíblia nos indica que não devemos entrar em jugo desigual com um incrédulo, porque entre luz e trevas não pode haver comunhão.

5.      Comece a orar por um cônjuge e agradecer a Deus por aquele(a) que Ele tem para você (Sl 37.4). Creia que Ele ouvirá a sua oração, e irá unir vocês. Lembre-se que Deus não é limitado à sua igreja ou círculo de vivência. Ele poderá se isso for da vontade d’Ele, até trazer uma pessoa do outro lado do mundo para você.

6.      Não diga: o que um cônjuge poderá me oferecer? Mas diga: o que EU tenho para oferecer ao meu futuro cônjuge? (Ec 4.9-11) Se você desejar que o seu futuro cônjuge tenha determinadas qualidades, você mesmo tem que desenvolver essas qualidades na sua vida. Aprenda a arte de conversar com as pessoas, se interessando por elas, e de amá-las. Homens e mulheres são atraídos à pessoas que amam e que se interessam pela vida dos outros, que tem personalidades amáveis. Pare de pensar somente em você e nos seus  interesses e começa e se interessar por aquilo que tem a ver com outras pessoas.

7.      Preencha os anos que você passa sozinho(a) com coisas construtivas (Pv 18.24; 1 Co 15.33). Apóie a sua igreja, doe tempo a Deus e aos outros. Talvez você poderá passar algum tempo fora do país, para ajudar em missões; começa ter um hobby ou faça um curso, para ter uma escolarização melhor, ou faça um curso num seminário.

8.      Busque equilíbrio interior e fique livre de complexos e obsessões, antes que você se case. Todos nós precisamos de cura em algumas áreas das nossas vidas. Se duas pessoas entrarem no casamento com um saco de problemas nas costas, somarão dois sacos!

9.      Muitos cristãos não cuidam da sua aparência, pensando que somente a beleza interior é importante (Ex. Rebeca e José do Egito Gn 24). Poucos de nós tem um rosto ou um corpo perfeito, mas cada pessoa pode ser atraente, se esta se cuidar. Conselho para as moças: experimente um corte de cabelo diferente, ou um estilo de roupas diferente. Se você é obeso(a) aprenda a se alimentar de forma equilibrada, faça exercícios físicos, tome dois litros de água por dia. Se você cuidar do seu físico, você terá mais auto-confiança. Porém, há o excesso inverso também: homens e mulheres obcecados em cuidar do físico, roupas e dietas. Seja moderado. Moça, não pense, que através do seu estilo sensual de se vestir você atrairá o príncipe encantado. Homens cristãos, que levam a sua vida com Deus e sua pureza a sério, vêem na moça sensual uma tentação, porque pensam que ela se oferece para aventuras sexuais. Eles, portanto fugirão de uma moça vestida e comportando-se de forma sensual.

10.  Ore, para que Deus lhe mostre qual é o plano dele para a sua vida. Talvez Ele tenha um ministério ou uma direção especial para você. Você somente poderá achar o melhor de Deus para você, se você trilhar o caminho que Ele lhe indicar. Uma moça foi à África para fazer um trabalho missionário entre uma tribo. Durante muitos anos ela era a única estrangeira na tribo e na região. Quando um homem sueco visitou o posto missionário, o Senhor lhe falou que este homem seria seu marido. Ela era bastante sábia e espiritual para não se manifestar a respeito. Depois de um tempo, ele a pediu em casamento. A obediência com qual ela seguiu o caminho do Senhor deram a ela um grande presente: um marido que trabalharia ao lado dela.

11.  Moça, aprenda a cozinhar, decorar, costurar… Prepare-se de maneira prática  para o casamento.

12.  Evite situações na qual você, sentindo-se solitário, poderá ser tentado a ceder a ter um relacionamento sexual. Isso poderá acontecer quando alguém lhe oferecer uma carona do serviço para casa; não convide uma pessoa do sexo oposto sozinha para a sua casa ou apartamento; não peça aconselhamento de uma pessoa do sexo oposto sozinho. Se você necessitar de aconselhamento ou oração, procure uma alguém do mesmo sexo, ou marca com seu pastor e a esposa dele. (Pv 13.16; 14.35; 17.2; 22.3)

13.  Muitas pessoas se casam porque receberam uma profecia ou palavra de conhecimento, que tal pessoa era para elas. Isso é perigoso e as vezes irresponsável. Os dons do Espírito podem confirmar um amor, mas somente quando Deus já nos mostrou pessoalmente que o relacionamento era da vontade d’Ele. Se não existir amor entre as duas pessoas, deve-se descartar essa “profecia”.

14.   Em alguns casos, Deus poderá ter um ministério para uma pessoa que poderá ser melhor executado se a pessoa permanecer solteira – durante uma fase da sua vida ou durante toda a sua vida. Se você tem a impressão que Deus pedirá a você esse sacrifício, você poderá pedir que Ele faça cessar o desejo de casar em você, e que lhe dê o “dom de ficar solteiro”, de não sentir necessidade de um relacionamento sexual. Tenha a certeza que você será mais feliz, solteiro(a), realizando o plano de Deus na sua vida, do que  casado(a) fora da vontade de Deus.

Extraído do site:  www.josuegoncalves.com.br

Tendências e aspectos do namoro

Pr. Josué Gonçalves

Pr. Josué Gonçalves

Tendências negativas do namoro

  1. O namoro leva a intimidade, mas não necessariamente no compromisso.
  2. No namoro costuma-se pular o estágio da “amizade” no relacionamento.
  3. No namoro, geralmente, confunde-se atração física com amor.
  4. O namoro com freqüência isola o casal, afastando-o de outros relacionamentos importantes.
  5. Em muitos casos, o namoro distrai os jovens adultos da grande responsabilidade de se prepararem para o futuro.
  6. O namoro pode causar insatisfação com a dádiva divina da integridade.
  7. O namoro cria um ambiente artificial para se avaliar o caráter do outro.

Aspectos positivos do namoro

1.      O namoro oferece oportunidade para se conhecer, conhecer outras pessoas e conhecer relacionamentos dentro do contexto seguro.

  1. O namoro oferece um contexto para resolver problemas.
  2. O namoro ajuda a desenvolver a capacidade de se relacionar.
  3. O namoro pode curar e reparar.
  4. O namoro é relacional e tem um propósito importante.
  5. O namoro permite a pessoa descobrir o que ela gosta no sexo oposto.
  6. O namoro oferece uma oportunidade para aprender a controlar a sexualidade e a protelar outras satisfações.

Joshua Harris aponta as “tendências negativas” do namoro descritas a seguir:

_________________

Adquira o DVD com a palestra:

“Os Dez mandamentos do namoro”

www.familiaegraca.com.br ou pelo te. (11) 4033-6636

Curso para noivos

Pr. Josué Gonçalves

Pr. Josué Gonçalves

Gn 2:18 – Lemos no capítulo 1 que tudo quanto Deus criara era “muito bom”. Aqui pela primeira vez constatamos algo que “não era bom’. Realmente não é bom que o homem fique sozinho. Uma auxiliadora foi criada por Deus para estar com ele. “idônea”, ou, “aquela que lhe corresponde ou “que está como diante dele”. Existem situações em que pessoas ficam sós. O ideal da criação de Deus é que cada homem tenha sua esposa, cada mulher o seu marido.

Gn 2:24 – Há três princípios sobre matrimônio neste texto:

1.      Deixar pai e mãe – Gênesis originalmente foi escrito na língua hebraica. No hebraico há um verbo forte aqui, com o sentido de “abandona”. Não somente deixar pai e mãe. É abandonar !

Obviamente que não há o sentido de desprezo nesta idéia. Mas, sim, de uma real separação. O ideal é que o novo casal more LONGE dos pais dele ou dela. Porque iniciam vida nova. O casal agora é uma família: seus pais são apenas parentes.

O casal aprende a resolver todos os seus problema por si só. Sem a interferência “da barra da saia da mãe”.

Suponhamos uma situação em que marido-mulher encontram-se em discordância ou problema. Ele (ou ela) procuram a “mãezinha”. O que essa mãe (ou sogra) responderá ? Se for realmente sábia, dirá – “não me conte nada ! volte para seu lar ! resolvam vocês mesmos !”

  1. Une-se à sua mulher (união – O fator “UM”) – tal princípio vale para ambos: Ele & Ela. Porém a maior ênfase é ao homem. O marido se une à sua mulher. Este é o princípio da FOCALIZAÇÃO. Ele focaliza sua atenção NELA. Geralmente é mais comum que MULHERES focalizem sua atenção no lar. São elas que engravidam, amamentam… O marido é que tem que aprender que, casando-se, sua vida é a ESPOSA; sua vida são os filhos; o lar enfim. Seus pensamentos têm que estar 100 % voltados para o lar.
  2. Tornando-se os dois uma só carne – ambos uma só pessoa, na matemática de Deus 1 + 1 = 1. È uma linda semelhança com Deus: Deus é um, e ao mesmo tempo, TRÊS. O casal é um, e ao mesmo tempo duas pessoas.

Há um erro que as pessoas fazem ao dizer – “caso-me com fulano; dou 50% de minha vida a ele; ele me dá 50% também. Somados, somos um casal 100%. Erradíssimo. Se cada um dá só metade, a quem darão a outra metade ? E na matemática de Deus, duas metades somadas resultarão num casamento pela metade.

O certo é: o homem inteiro (100%) doado à sua esposa;

A mulher inteira (100%) doada à seu marido;

Ambos somados dá exatamente 100%, nada menos, nada mais !

Gn 2:25 – estavam nus e não se envergonhavam ! Há 2 sentidos para “estar nu”

Físico: (corpo, sexo, contato íntimo, carícias, etc.) – esta parte é objeto de um estudo especial a respeito. Sobre a benção do sexo, do íntimo contato matrimonial Mental: (conversa, relacionamento humano, sem segredo, sem barreiras !

Estar nu, especialmente na MENTE: desnudam-se um perante o outro. Relacionamento saudável! Pois guardar segredos adoece o casal. Rancores guardados transformam-se em ressentimento com “mau cheiro”. È terrível um casal onde não existe liberdade de expressão, onde cada um não pode falar o que gostaria de falar!

Perante o cônjuge, abrimo-nos inteiramente. Não há barreiras, máscaras, nada. A mulher conhece cada defeito dele; as fraquezas e limitações de seu marido. O homem conhece cada defeito dela; suas fraquezas e limitações. Isso é saudável.

Pessoas que não abrem seu coração a seu próprio cônjuge, ou, a ninguém, tornam-se neuróticas. Abrigam no próprio ser problemas que nunca se resolvem porque não são ventilados. Emboloram. Tornam-se ranzinzas e insatisfeitas. Como é bom ter alguém para desabafar, abrir o coração, falar tudo, ser compreendido! E esse é o melhor amigo (ou amiga) é o próprio cônjuge.

O Amor

Perguntas:

1.      Como desenvolver o amor entre um casal ?

  1. O amor “apaixonado” de namorados continua na vida conjugal?
  2. Os anos de casamento fazem o amor crescer ou diminuir ?

Essas são as mais graves e importantes perguntas para um casal. Pois nelas se encerra toda nossa vida. O casamento depende do amor: nasce no amor, vive do amor, e sem amor o casamento acaba.

Dois lados: um triste, outro glorioso

No Brasil, há alguns anos, uma estatística demonstrava: 40% dos casamentos terminam em desquite. Isso significa que em 10 casamentos feitos hoje, 4 se desfarão amanhã! E isso sem contar os casais que, embora “vivendo juntos”, não se compreendem, apenas “toleram-se” Um casal que se une realmente pela vontade de Deus, tem um amor CRESCENTE. O amor de namorados, depois de noivos, depois de lua de mel, vai se desenvolvendo. Quanto mais passam-se os anos, maior é o amor conjugal! A compreensão, a ternura, a satisfação, tudo aumenta !

Como responder àquelas 3 perguntas acima ?

PRIMEIRO: o Amor vem de Deus.

“Aquele que não ama, não conhece à Deus, pois Deus é amor.” I Jo 4:8

“amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus, e conhece a Deus”. I Jo 4:7

“Se de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros”. I Jo 4:11

         Só um casal que tem Deus no lar, é que tem o amor crescente. Pois Deus é quem sustenta, alimenta, desenvolve o amor !

  • Ilustração; um casal “quente”, “apaixonado”, pode ser comparado a um prato com comida quentinho. Tal prato é colocado sobre uma mesa. Passam-se 2 horas: está gelado.

Um outro casal, mesmo não tão “quente”, é como um prato com comida fria. Tal prato é colocado sobre a chapa de um fogão a lenha. Passam-se muitas horas: o prato se aqueceu e não esfria! Só um casal “em Jesus” é que não se esfria com o passar do tempo.

“… à imagem de Deus o criou, homem-mulher” – Gn 1:27.

“Deus nos predestinou para sermos CONFORMES À IMAGEM DE SEU FILHO…” – Rm 8:29

- Só duas pessoas que TEMEM A Deus é que são transformadas à própria imagem de Deus. Faz parte desta “figura” divina implantada no casal, o AMOR.

O verdadeiro casamento é um triângulo. Não é “união de dois”. Isso seria materialismo e seria incompleto. Deus é a 1ª pessoa no casamento. O amor de Deus é que nutre o amor conjugal.

SEGUNDO: o amor não é “paixão”

Há um provérbio popular que faz uma caricatura do casamento:

” O amor é uma flor roxa que nasce no coração do trouxa ! “

Amor-paixão é assim mesmo: imaturo, infantil, irracional, errado. Pega fogo num minuto, noutro já apagou. `esse o “amor” que levam muitos a um casamento apressado, infeliz, fracassado.

Fp 1: 9 e 10: “e também faço esta oração: que o vosso Amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda percepção, para aprovardes as coisas excelentes…”

Amor é CONHECIMENTO. Conhecimento tem a ver com nossa capacidade de decisão: nós somos capazes de “tomar a decisão de amar”.

“Amar” não é ser “arrebatado” por um sentimento irracional por um fulano qualquer.

“Amar” (amor verdadeiro) é DECIDIR amar alguém. È conhecer a pessoa e adquirira a habilidade de perceber se essa é a pessoa certa para o casamento. Perceber “aprovar as  coisas excelentes”.

TERCEIRO: A amor de Deus é ÁGAPE

O idioma original do Novo Testamento, o grego, possui três palavras para o termo em que em português define-se apenas como “amor”.

Em grego as 3 palavras são:

         Eros: “amor erótico”. É o amor mais baixo. Egoísta, individualista. Diz respeito ao sexo também – mas abrange mais do que isso. É o amor que só quer ganhar, receber, e não quer dar nada.

  • FILIA – “amor familiar” – É “amar a quem ama”, é gostar só de quem gosta de mim. É só fazer o bem a quem também possa me ajudar.
  • ÁGAPE – “amor sacrificial” – Este foi o amor que levou Jesus a morrer pela humanidade. Este é o amor que um casal deve ter: cada um “morrer pelo companheiro”. Dar tudo. Sacrificar-se.

QUARTO: o amor deve ser cultivado

No namoro há coisas características e peculiares:

- beijos – segredos – bilhetes – flores – perfume – carícias – surpresas – cartinhas – presentes – etc.

Por que tudo isso não continua na vida conjugal ??????

Uma moça, no namoro, se enfeita toda para encontrar-se com o “amado”. Depois casa-se com ele. Não se enfeita mais, e desanda a engordar. Não cultivou o amor. Um rapaz dá flores à namorada, bilhetes, etc. Casa-se com ela. Não dá mais rosas nem cartinhas. Não está cultivando o amor.

O romantismo do namoro deve ser preservado, cultivado, cuidado, como se fosse uma plantinha delicada que sem água seca logo. As coisas mais “FÚTEIS”: beijinhos, carinhos, palavras românticas, etc. é que são as mais importantes para um casal se amar sempre !

Orçamento Familiar

Importância: Lucas 14: 28 à 30 – ter prudência como regra nos permite experimentar o milagre multiplicador do Senhor (prosperidade)

Planilha de custos: é bom que o casal possua uma planilha de custos mensais, isso nos ajuda a enxergar nossas necessidades básicas, das quais não podemos abrir mão. Antes de casarmos não nos damos conta de que teremos que pagar água, luz, gás, etc…

Extraído do site http://www.josuegoncalves.com.br – Pr. Josué Gonçalves

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.